2012 - Tempo, Amor e Realidade


Gostaria de compartilhar uma revelação que tive no decorrer deste ano e que nesses últimos dias de 2012 está sendo comprovada.
Acho que se estou tendo resultados lindos com esse conhecimento, talvez você também possa ter.
Acredito que a maior reclamação da mulher nos dias de hoje é a falta de tempo.
Essa era a minha maior, com certeza!
Eu entendi que falta de tempo é medo.
Eu impunha para mim mesma tantas atividades no meu dia, que acabava não fazendo nenhuma 100%.
Eu achava que não deveria delegar as minhas tarefas, como por exemplo, pagar contas, cuidar da minha filha Luiza as 24h do dia, cuidar da casa, cuidar do meu negócio (de todos os setores), porque era isso que me fazia uma mulher de “valor, de garra, de força e coragem”.
Hoje eu vejo que isso na realidade era medo, porque se sobrasse tempo pra mim, o que os outros iriam dizer? E se algo desse errado? A culpa não seria da pessoa que fez, e sim de mim mesma que deleguei ao invés de assumir a responsabilidade de fazer sozinha!
E assim, alguns anos se passaram.
No final eu já estava esgotada, e esse esgotamento estava afetando todas as áreas da minha vida.
Como desde os meus 14 anos estudo assuntos como lei da Ação e Reação, doenças psicossomáticas, criação da realidade através dos meus pensamentos, eu tinha consciência de que aquilo tudo estava errado. De que eu estava me distanciando da minha alma e eu tinha que sair daquele círculo vicioso!
Até que fiz um seminário chamado Empretec que me fez voltar para os trilhos!
Lá eu aprendi duas coisas muito importantes. A primeira foi com os mestres do seminário:
- Eu tenho que ter uma meta e ela tem que ser importante para mim, senão, eu acabo desistindo no meio do caminho. Não adianta ser o que minha mãe acha certo, o que meu marido quer ou o que a sociedade acha que é possível. Tem que ser o meu desejo mais profundo e verdadeiro. Mesmo que de início eu ache impossível!
A segunda coisa eu aprendi com uma mocinha muito esperta que faz chocolates maravilhosos, chamada Edriane: ela me disse que eu tinha que ser “dependente de Deus”.
Eu, que me sentia tão sozinha a maior parte do tempo, comecei a assimilar esse conhecimento de que Deus permeia tudo. Ele está em tudo. E eu posso pedir tudo para Ele! Eu não preciso fazer nada sozinha! Eu posso pedir um conselho, eu posso pedir uma idéia, eu posso pedir dinheiro, eu posso pedir discernimento...
E você sabe que as idéias, as informações, tem um tempo para amadurecer dentro da gente e se tornarem conhecimento adquirido, como um hábito em nossa vida.
Passaram-se alguns poucos meses, fui testando esses novos aprendizados, os resultados começaram a aparecer, até que minha mãe me falou de um livro que ela está lendo chamado “Limite Zero”, de Joe Vitale.
Enquanto conversava com ela (a espera da ambulância que viria nos pegar para a quinta seção de quimioterapia da minha mãe), liguei para a livraria Nobel que tem perto de casa e a moça que me atendeu disse que só tinha um livro daquele. Na hora eu reservei, já que minha mãe disse que foi um “parto” para achar esse livro na internet e que demorou para chegar...
Bom, o negócio é que esse livro tem algumas idéias bem impressionantes, mas que veio a funcionar como uma cola que uniu todos os pedacinhos da minha vida, tudo o que eu já li, todos os seminários, palestras e aulas das quais já participei, comprovando que todos estamos conectados verdadeiramente!
O tempo?
Descobri que brigar com o tempo é ter falta de fé. 






Descobri que sempre fui muito competente e inteligente, mas que sempre achei que estava sozinha e por isso mesmo as coisas não davam certo.
Porque na hora em que eu deveria colocar tudo nas mãos de Deus, algo me dizia que eu seria irresponsável se não tomasse uma atitude. Seria irresponsável se ficasse esperando as coisas acontecerem, “apenas” tendo fé de que Deus, melhor do que ninguém, sabe e conhece todas as coisas e pessoas do mundo, e traria a melhor solução e desfecho para a situação.
Para mim, Deus é essa cola. Deus é a sorte. Deus é a inspiração. Deus é a intuição. Deus é uma palavra que você ouve de uma pessoa que você acabou de conhecer e que toca sua alma lá no fundo, mudando sua vida.
Por isso, o aprendizado maior que tive em 2012 é que tenho que estar aberta para conversar com Deus. Para ouvir essa intuição, essa inspiração (como diz no livro), em todos os momentos.
E o melhor jeito de se fazer isso é aproveitando o meu tempo da melhor maneira possível!
Delegando as tarefas que outras pessoas podem fazer para mim. E como o Dr. Lair Ribeiro diz, delegar não é passar a tarefa para alguém que fará tão bem quanto você ou até melhor. Delegar é ensinar a tarefa para alguém que está no processo de aprendizagem daquilo. Você vai ensinar a pessoa a fazer aquilo, assim como alguém lá no seu passado lhe deu a chance de aprender também!
Porque senão, você vai ficar dando a desculpa de que ainda não conseguiu achar ninguém à sua altura!
Delegando tarefas para outras pessoas, você se concentra em realizar aquilo que é realmente importante. Primeiro passo para o reaproveitamento inteligente do seu tempo!
O segundo passo, na verdade, você pode fazer a partir de agora mesmo, que é escolher os pensamentos que você tem.
Já que os seus pensamentos de hoje criam as suas ações, e suas ações criam a sua realidade, comece a perceber que você tem o poder de mudar seus pensamentos.
A gente adora criticar os outros. Adora ver defeito nos outros ou nas coisas. Adora achar que é vítima por aquilo estar acontecendo na vida.
Exemplo: minha filha Luiza não dormiu uma noite inteira até completar um ano de vida. Isso acabava comigo! Eu ficava cansada e com raiva.
Hoje eu consigo enxergar claramente que se tudo o que eu penso e faço cria a minha realidade, vejo que o fato de ela não dormir até completar um ano e me deixar esgotada por causa disso foi algo que eu atrai para a minha vida. Não era culpa dela!
Então, se toda vez que eu ficasse com raiva e começasse a ter pensamentos como: “Por que essa menina não dorme?”, ou então: “Parece que ela adivinha quando eu estou pegando no sono para começar a chorar” – eu pensaria: “De alguma forma eu estou atraindo isso para mim.”, e mudaria minha freqüência de pensamento para: “Eu te amo, minha filha!” E só!
Às vezes é difícil falar “Eu te amo”, mas não importa! 
Apenas fale. Fale repetidas vezes como num mantra. Você vai perceber que seu sentimento começa a mudar.
E a partir disso você se conecta com algo maior. Você acaba desviando a sua mente do problema e se concentrando nesse sentimento sublime que é o Amor.
Qual o resultado disso?
Nossa, vou te falar que no primeiro dia que comecei a fazer isso começaram a acontecer coisas bem interessantes.
Sabe que ainda nem acabei de ler o livro. Falta pouco agora, enquanto escrevo.
Mas sei que este ano de 2012 foi o ano da virada!
Ou melhor, o ano das constatações e das assimilações de tantos anos ouvindo, absorvendo, observando, testando.
Como disse o Marcos, mestre do seminário Empretec: “Você tem que parar de olhar para fora! Olhe para dentro de você!” Isso me abriu os olhos...
A vida é sincronicidade pura (Mahalila!), e a gente fica boquiaberta quando coloca os pingos nos “is” e percebe que SIM, estamos todos conectados! Que todas as religiões, no final, dizem a mesma coisa!
Que tudo está certo, acontecendo no momento certo, e que na maioria das vezes, uma notícia boa vem disfarçada de notícia ruim. Que o que chamamos de “problema” nada mais é que uma “oportunidade”!

Eu agradeço a todas as pessoas que fizeram parte da minha vida até agora!
Hoje enxergo muitas pessoas como mestres. A todas essas pessoas que me trazem tantos ensinamentos, e que só agora tenho “olhos para ver”, muito obrigada!
E também peço perdão a quem possa interessar. Inclusive a mim mesma.
Que este Amor que é Deus e que une todas as coisas possa estar cada vez mais presente no seu tempo, no seu dia-a-dia, em cada momento, transformando sua realidade, a minha realidade e dos que nos cercam.

Muito obrigada pela companhia em 2012!
Vamos continuar compartilhando em 2013!

Grande abraço,