E no fim... não existe fim!

Estou num momento maravilhoso de busca e descobertas sobre a vida. 
A gente nunca sabe nada... Mas, minha sogra esses dias me disse algo valioso: o importante não é ter e sim SER. E é a mais pura verdade. 
A gente fica numa correria louca pra ter as coisas, pra ter conforto, pra ter um corpo bonito, pra ter dinheiro... 
Quando na verdade a vida é o dia-a-dia, é a convivência com quem está ao seu redor, é a capacidade de manter a paz de espírito e agir com amor.
Porque o que é hoje, não é mais amanhã. E na hora de ir embora daqui e voltar para a nossa casa verdadeira em outra dimensão, o que você vai levar?
Os momentos de stress no trabalho para conseguir bater uma meta e ganhar um dinheiro a mais no mês? Os momentos em que você está tão cansado que precisa parar em frente à televisão e assistir a um programa idiota para não ter que pensar em nada? Os momentos em que você se sente tão vazio que precisa beber, fumar, comer ou encher o saco do seu companheiro pra se sentir amado ou preenchido de alguma forma?
Não.
O que você vai levar são os momentos de perdão, os abraços, os sorrisos, as descobertas que elevam, é aquela mania da pessoa que está ao seu lado tão característica e peculiar.
Mas, cada um é responsável pela própria vida. Você não pode culpar o outro, seja ele quem for, pela sua realidade.
É você quem escolhe ser feliz, independente de onde você está ou do que o outro fez para você.
Então, a gente tem que escolher ser feliz. Sim, é uma escolha que só depende da gente. E precisa muito treino!
A gente tem que escolher acreditar que tudo está em seu lugar e que nada é por acaso. Acreditar que a vida é injusta (a nossa ou a dos outros), é acreditar que Deus é injusto, e isso é absurdo.
A gente vive milhares de anos para aprender que todos somos um. Que o que o outro é o seu braço e que a natureza é sua perna.
Que Deus é tudo, está em tudo e não é um ente, mas sim tudo o que você vê, bem como todos nós.
Então, por que achar que o outro está errado? Por que achar que ele (ou ela) tem que mudar? Hoje ouvi que somos instrumentos para o desenvolvimento dos outros, e que os outros são instrumentos para o nosso desenvolvimento.
Nada está errado.
E se o que é hoje não é mais amanhã, só existe o agora. O que você vai levar do agora? Raiva, mágoa, tristeza? Então, fique mais alguns milhares de anos para entender que estes sentimentos são emoções de algo que não é a gente.
Porque a gente é espírito imortal. A gente é luz. A gente é o todo.
E o único sentimento do espírito é esse amor. Um amor neutro, de paz e tranquilidade interna, que sabe que tudo está em seu lugar.

Como diz Carlos TorresNadia DoncevAngelo Helena Sartori, as coisas acontecem na nossa vida através das pessoas. As pessoas são importantes.
Esqueça as metas, esqueça o dinheiro, esqueça o prestígio.
Quando você der mais importância às pessoas do que as coisas, tudo isso vem naturalmente.
A gente tem que se aprimorar de todas as formas, mas a principal dela é o aprimoramento do seu emocional. Não permita que ninguém te deixe triste. Não guarde rancor nem mágoa de ninguém. Sinta-se bem consigo mesmo e com a vida, seja ela como for.


Isso exige muito treino, mas, no fim de tudo, a gente está aqui pra isso...